quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Uma mensagem de fim de ano

A Voyager 1. Foto: NASA
Toda vez que você desanimar com a economia, com a política ou com os perigos da inteligência artificial descontrolada dominar o mundo, lembre-se que nós humanos fazemos bobagens, mas às vezes somos capazes do sublime, do espetacular, do genial:

Em 1977 foi lançada a Voyager 1, uma nave espacial programada para passar por Júpiter, tirar fotos, realizar experimentos e dali mergulhar no espaço, numa viagem sem fim. Em 2012 a Voyager deixou o sistema solar. Na corrente rota ela se aproximará de uma outra estrela daqui a 40 mil anos.

Antes do lançamento, uma equipe liderada pelo cientista Carl Sagan, criou um conjunto de mensagens a ser incluída na Voyager. Contém imagens, músicas, sons e outras informações da Terra para caso, um dia, uma outra civilização a encontrar.

Reza a lenda que, em uma das reuniões de planejamento do Golden Record (o disco folheado a ouro que foi na nave), os cientistas discutiam que músicas podiam apresentar os terrestres para outra vida inteligente. Um deles sugeriu Bach.
Outro cientista disse: Bach... melhor não. Vai parecer que nós estamos querendo nos exibir ...




P.S.: A conversa dos cientistas é só uma lenda urbana, uma estória exemplar,  jamais confirmada. E o disco da Voyager acabou levando Bach, Mozart, Beethoven e muito mais. Mas, como mensagem de fim de ano, esperamos que levante seu espírito pensar que estes macacos pelados, vivendo nesta pedrinha que gira num canto obscuro do Universo possam criar tanta beleza... e a nave que a está levando para as estrelas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário